Autoliderança

O que você entende por autoliderança? Acredita que a coloca em prática no dia-a-dia? Nesse texto iremos abordar não apenas o conceito, mas como e porque desenvolver essa habilidade. 

São 3 as coisas que podemos liderar:

  • Processos
  • Pessoas
  • A nós mesmos

A pergunta é: Nós somos capazes de liderar processos e pessoas se não tivermos a capacidade de liderarmos a nós mesmos?

Sim. Um tipo de liderança independe do outro. Assim como é possível que você tenha um desempenho a frente de processos, mas tenha dificuldades para liderar um time, também é possível que você se saia bem como líder e não tenha a capacidade de se autoliderar. A diferença é que, se você lidera a si mesmo, desenvolver outros tipos de liderança torna-se mais fácil.

Mas o que é ser um líder? Ou melhor o que é ser um bom líder?

Um bom líder é aquele que conduz algo ou alguém a um lugar melhor. Sendo assim, ao desenvolver a capacidade da autoliderança, você se torna capaz de conduzir a si próprio para um futuro melhor.

Outra definição de liderança é a capacidade de administrar recursos, sendo recursos tudo aquilo que está disponível para conduzir de um lugar a outro — dinheiro, energia, conhecimento, etc…  Ou seja, o bom líder é aquele que consegue administrar os recursos disponíveis de modo a direcionar algo, ou alguém a uma posição melhor do que se encontra.

Pensando dessa maneira, parece óbvio que todo ser humano possui o desejo de desenvolver a autoliderança. O que então nos impede?

  • A ideia de Controle

Estamos o tempo todo tentando controlar nossos sentimentos, mas a realidade é que sentimentos não são controláveis. O problema da ideia de controle é que ela passa a sensação de domínio, e o indivíduo se predispõe a busca aquilo que ele nunca vai encontrar. Uma vez que os sentimentos não podem ser controlados, é preciso reconhecê-los e dirigi-los para conduzir a si mesmo.

  • Ilusão da Onipotência

Todos temos limitações. Ninguém sabe tudo. Ao contrário do que dizem os gurus, não somos responsáveis por tudo o que nos acontece, afinal, não somos onipotentes. É preciso saber reconhecer os recursos que você tem e utilizá-los da melhor forma possível. O que é possível é trabalhar no limite da sua competência. Podemos trabalhar nossos limites de maneira a aumentá-los constantemente, mas antes é preciso conhecê-los.

As possibilidades são infinitas, recursos são escassos.

  • A necessidade de estar pronto

Quem nunca ficou adiando começar algo esperando se sentir pronto? Pronto é o mesmo que acabado, ninguém está pronto para como começar, torna-se pronto no processo. Para desenvolver a capacidade de se autoliderar é necessário trocar a espera por estar pronto por um constante estado de prontidão. Esteja de prontidão para assumir as responsabilidades que lhe são dados.

Com isso, concluímos que, se você quer se autoliderar você precisa:

  • Dirigir ao invés de autocontrolar;
  • Reconhecer os seus limites ao invés de buscar ser onipotente;
  • Colocar-se em estado de prontidão ao invés de querer estar pronto;

Além disso, a capacidade de autoliderar-se requer um certo nível de pensamento estratégico, baseado na tríade mostrada no modelo abaixo:

O pensador estratégico é um elaborador de perguntas por natureza e entende que mais importante do que as respostas são as perguntas que fazemos. Além disso, ele está sempre está centrado na visão de longo prazo, então pensam no que pode acontecer amanhã, na semana que vem, ou no ano que vem. Para fechar a tríade, o pensador estratégico trabalha com a relação de causa/efeito — se eu tomar essa ação, essas serão as consequências — afim de estar sempre preparado.

Os 5 mandamentos da autoliderança são:

  • Tenha Clareza

Como diria Lewis Carrol: para quem não sabe para onde vai, qualquer caminho serve. É preciso ter clareza dos seus objetivos e saber o que quer chegar. Nós vimos que a autoliderança é a capacidade de conduzir a si mesmo na direção de um lugar melhor, no entanto, se você não tem clareza de onde quer chegar, precisará percorrer mais caminhos.

  • Faça as perguntas certas

Algumas vezes as repostas para as perguntas que fazemos não estão claras, simplesmente porque são as perguntas erradas. Se você se pergunta porque sempre chega atrasado no trabalho, talvez devesse se perguntar porque sempre sai de casa atrasado. Afinal, nessa relação causa efeito, a causa é sair atrasado e é nesse ponto que é possível atuar.

  • Oriente-se para mudanças

Vivemos em um mundo caótico onde as coisas mudam o tempo todo e, portanto, é necessário não apenas saber se adaptar às mudanças, mas ser um instrumento de mudanças positivas. O progresso por si só pressupõe mudança, se você quer conduzir-se para um lugar melhor é preciso estar preparado para mudar.

  • Busque o equilíbrio entre ser racional e ser intuitivo

É comum que as pessoas tenham um dos lados mais fortalecido que os outros, o que não podemos fazer é priorizar um em detrimento do outro. Ambos são importantes. Intuição é a capacidade de tomar decisões completas com dados incompletos. Razão é a capacidade de operar com nexos lógicos. Reconheça qual o seu lado mais fraco e trabalhe nele. 

  • Planeje-se

Depois de saber onde chegar, estar preparado para as mudanças e encontrar-se em equilíbrio, é importante traçar o caminho. Um plano é uma aposta estruturada em relação ao futuro.

Se você deseja estar na direção da própria caminhada, favorecendo chegar a um lugar melhor, precisa desenvolver a capacidade de se autoliderar. Se você não estiver na direção do seu caminho, acabará permitindo de forma indireta que outras pessoas ou circunstâncias conduzam a jornada sem a sua participação.

Através da autoliderança o indivíduo torna-se senhor na sua própria casa, autor da própria história, agente da mudança, e estar na direção da minha própria mente.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.